11 2626-5632 | 11 941461588

Como Conservar os Alimentos no Verão

Como Conservar os Alimentos no VerãoVocê sabe como conservar os alimentos no verão para garantir a segurança alimentar e a saúde da sua família?

Nesta época de festas e de férias, é comum os termômetros passarem dos 30ºC, temperatura ideal para aproveitar o sol e os passeios ao ar livre.

Mas não para os alimentos, já que o calor e a umidade típicos do verão aceleram a sua degradação, propiciando o crescimento de bactérias.

E comida contaminada ou degradada é literalmente “um prato cheio” para as Doenças Transmitidas por Alimentos (DTAs).

Segundo o Ministério da Saúde, o Brasil registra uma média anual de 700 surtos de DTAs, com 13 mil doentes e dez óbitos.

E a maioria das doenças é causada por bactérias, como Salmonella, Escherichia coli e Staphylococcus. Mas também há surtos provocados por vírus (rotavírus e norovírus) e, em menor proporção, por substâncias químicas.

Já os principais sintomas são náuseas, vômitos, dores abdominais, diarreia, falta de apetite e febre.

Então, para que as intoxicações alimentares não “azedem” as suas férias, a prevenção é fundamental.

Para garantir a segurança dos alimentos perecíveis, é necessário controlar a temperatura do ambiente onde o alimento está sendo manipulado ou armazenado.

Veja as 7 dicas da Tailler para você evitar o consumo de alimentos contaminados no verão e garantir sua saúde:

1. Nas compras: os alimentos refrigerados e congelados devem entrar no carrinho somente na hora de ir para o caixa e ser transportados para casa o mais rápido possível.

2. Ao chegar em casa: guarde primeiro os alimentos gelados e congelados.

3. Ao descongelar: o descongelamento deve ser realizado a 4ºC, ou seja, dentro do refrigerador/geladeira, de preferência na prateleira inferior, e não em temperatura ambiente!

4. Durante o cozimento: as altas temperaturas são eficazes para eliminar a maioria dos microrganismos, por isso, durante o cozimento, o alimento deve atingir, no mínimo, 70ºC em seu centro geométrico.

5. Em exposição: em restaurantes, os alimentos são colocados em vitrines ou balcões térmicos para que os clientes possam escolher ou se servir. Nessas condições, as preparações quentes devem ser mantidas em temperatura maior que 60ºC por, no máximo, seis horas. Já as preparações frias, como saladas, podem ficar expostas em temperatura igual ou inferior a 5ºC, por, no máximo, duas horas. Fique atento!

6. No resfriamento: após a preparação, alguns alimentos são congelados ou refrigerados para serem consumidos posteriormente. Nesse caso, é importante fazer o resfriamento corretamente, baixando a temperatura do alimento (de 60ºC a 10ºC) em até duas horas. Esse intervalo controlado evita a multiplicação bacteriana.

7. No armazenamento: após o resfriamento, os alimentos devem ser mantidos em recipientes com tampa e sob refrigeração (temperatura inferior a 10ºC) ou congelamento (temperatura inferior a -12ºC).

Lembre-se de que os serviços de alimentação devem possuir termômetros calibrados para o efetivo controle da temperatura dos alimentos.

Em cozinhas domésticas que não possuam termômetro, o controle pode ser realizado em ações simples, como manter os alimentos refrigerados/congelados ou muito quentes, e nunca em temperatura ambiente por longos períodos.

Quer saber mais? Fale com a Tailler!
Envie um WhatsApp para (11) 94114-4231 e aproveite as suas férias!

#alimentoseguro #conservacaodealimentos #segurançaalimentar #foodsafety #dicasdealimentacao #congelamento #contaminação #contaminaçãocruzada #dtas #refeições #alimentacaoesaude #restauranteseguro #restaurante #consultoriadealimentos #tailleralimentoesaude

Iniciar conversa